Graduação em Gestão em Saúde Ambiental



DENOMINAÇÃO DO CURSO: Gestão em Saúde Ambiental


MODALIDADE OFERECIDA: Bacharelado


TITULAÇÃO CONFERIDA: Bacharel em Gestão em Saúde Ambiental


ANO DE INÍCIO DE FUNCIONAMENTO DO CURSO: 2010


DURAÇÃO DO CURSO:


Mínimo: 4 (quatro) anos para integralização curricular


Máximo: 6(seis) anos para integralização curricular


RESOLUÇÃO DE CRIAÇÃO DO CURSO: 05/2009


ATO DE RECONHECIMENTO DO CURSO: Portaria 441 de 31/07/2014


REGIME ACADÊMICO: Semestral


TURNO: Vespertino


VAGAS OFERECIDAS: 20 vagas anuais com entrada no processo seletivo do início do ano


CARGA HORÁRIA MÍNIMA: 3340horas

APRESENTAÇÃO

O curso de Gestão em Saúde Ambiental foi criado pela Resolução CONSUN nº 05/2009 com uma estruturação de fluxo curricular e definição do perfil profissional do egresso em sintonia com a proposta educativa da Universidade Federal de Uberlândia. O referido Curso foi reconhecido pelo Ministério da Educação e Cultura pela Portaria 441 de 31/07/2014.

O caráter concomitante da exposição ambiental e ocupacional, mediada por elementos sócio-antropológicos, torna ainda mais complexo o estudo das associações e relações causais, assim como a concepção e implementação de medidas, visando à minimização e/ou eliminação de riscos ambientais e ocupacionais.

Nessa direção, o campo da Saúde Coletiva/Pública tem sofrido forte influência destas modificações, delineando novos objetos de estudo, nas descrições dos riscos ambientais e no estudo das repercussões na ecologia e nas condições de vida e saúde das populações humanas, principalmente a população trabalhadora.

Atualmente, os processos de gestão e sistemas de serviços de saúde têm apresentado reconhecidas dificuldades em atuar eficientemente para modificar este quadro, dentro de uma perspectiva de recuperação ou manutenção da saúde dos grupos populacionais vulneráveis.

Desse modo, é urgente que a formação de novos atores do Campo da Saúde Coletiva/Pública esteja atenta às diversas características que vão fazer com que o atual perfil de morbi-mortalidade no Brasil se diferencie tanto daquele anterior à transição epidemiológica como do padrão dos países industrializados desenvolvidos, a saber: a mortalidade excessiva por causas externas; a elevada transmissão de doenças infecciosas adaptadas ao espaço urbano, tais como a tuberculose, dengue, leptospirose, calazar e malária; a exposição a riscos químicos e riscos biológicos durante o trabalho, principalmente em áreas rurais, e o intenso e constante desgaste decorrente das condições de vida e trabalho.

Dessa maneira, conhecer o caráter concomitante da exposição ambiental, mediada por elementos sócio-antropológicos, torna-se ainda mais importante na perspectiva da formação de profissionais com habilidades e competências para o complexo estudo das associações e relações causais entre exposição e risco, assim como a proposição e execução de medidas, visando à minimização e/ou eliminação de problemas do Meio, incluindo o ambiente de trabalho.

Assim, a criação e oferta de um curso focado na temática saúde e ambiente tornam-se extremamente relevantes para uma compreensão holística desses fenômenos, tentando superar as especializações do conhecimento científico e entendimento das relações entre a sociedade e a natureza.

           

PERFIL DO EGRESSO

O bacharel em Gestão em Saúde Ambiental, formado pelo Instituto de Geografia da Universidade Federal de Uberlândia deverá ter sua formação em harmonia com os princípios propostos para a educação no século XXI, quais sejam: aprender a conhecer, fazer, conviver e ser.

Nessa direção, o perfil do graduado em Gestão em Saúde Ambiental é o de um profissional com formação generalista, humanista, crítica, reflexiva e ética, com capacidade para atuar na análise de situação de saúde e em vigilância em saúde, gestão de sistemas e serviços de saúde, promoção da saúde e no desenvolvimento científico e tecnológico em saúde, com responsabilidade social e compromisso com a dignidade humana, objetivando-se na defesa da saúde como um direito social imprescindível à construção da cidadania plena.

A despeito da necessária articulação entre as competências requeridas para o futuro exercício profissional dos egressos de cursos da área de Saúde Coletiva - como o de Gestão em Saúde Ambiental - a formação do sanitarista desdobra-se em algumas áreas de competência geral, ou interprofissional, e específicas: Vigilância em Saúde; Gestão em Saúde e Promoção da Saúde.

Nessa perspectiva, o curso possibilita ao egresso conhecer o papel do Estado na Saúde, e o fazer social por meio de propostas e prioridades para a ação pública, expresso nas relações entre Estado-Sociedade, mediante as condições de saúde da população e seus determinantes, como a produção, distribuição, gestão e regulação de bens e serviços que afetam a saúde humana e o ambiente.

 

OBJETIVOS DO CURSO

A partir do exposto nos itens anteriores, os objetivos do curso de Graduação em Gestão em Saúde Ambiental são os seguintes:

 

  • Formar profissionais para a análise, resolução e gestão de problemas relacionados à saúde humana, de forma criativa, ética e cidadã, comprometida com o respeito à vida, com especial compromisso com as questões que envolvem a saúde pública no país, capazes de atuar efetiva e eticamente e desempenhar funções de direção, planejamento, administração, gerência, supervisão, controle, auditoria, assessoria, consultoria, pesquisa e avaliação de práticas nos sistemas, serviços e unidades de saúde públicas e privadas onde se realizem atividades de promoção da saúde e da qualidade de vida humana.

 

  • Fornecer uma sólida formação para que os profissionais tenham capacidade para analisar, gerir contextos e tomar decisões levando em conta a diversidade, a particularidade, a interdependência e a complexidade das questões envolvendo a saúde humana nos contextos da vida cotidiana;

 

  • Atender às necessidades do mercado de trabalho por profissionais qualificados na área de saúde, compromissados com as questões envolvendo a Saúde Ambiental, no contexto da Saúde Coletiva;

 

  • Propiciar uma formação que vise a um entendimento das transformações sociais, políticas e ambientais do país que se relacione à saúde.

 

  • Incluir dimensões ética e humanística, desenvolvendo, no estudante, atitudes e valores orientados para a cidadania ativa multicultural e para os direitos humanos;

 

  •  Promover a integração e a interdisciplinaridade em coerência com o eixo de desenvolvimento curricular, buscando integrar as dimensões biológicas, psicológicas, étnico-raciais, socioeconomicas, culturais, ambientais e educacionais; 

 

  • Utilizar, no campo do estágio curricular, diferentes cenários de ensino-aprendizagem, em especial as unidades de saúde, propiciando a interação ativa do aluno com usuários e profissionais de saúde;

 

  • Vincular, por meio da integração ensino-serviço, a formação acadêmica às necessidades sociais da saúde, com foco no SUS; 

 

  • Formar profissionais em Saúde Coletiva com sólido conhecimento técnico-científico e capazes de conhecer e intervir sobre os problemas e situações de saúde-doença.
Tipo: 
Graduação
Email: 
cogsa@ig.ufu.br
Telefone: 
34 3230-9432
Coordenador: 
Boscolli Barbosa Pereira
Página: 
http://www.ig.ufu.br/graduacao/gestao-saude-ambiental